segunda-feira, abril 05, 2010

"FORTALEZA"


Eu me fiz implacável.

Quando criança, sonhava com batalhas épicas e guerras gigantescas. Sempre fui um grande fã de ação e me via como um galante herói em busca de glória, em meio à batalhas contra poderosos adversários em brigas catastróficas, sempre sozinho, mas nunca errante.

Era um sonho de criança: as armaduras, as espadas, a glória de um herói! A busca pelo correto, um Galaad da era moderna... Com o tempo (na minha pré adolescência) deixei apenas de sonhar. Não me lembro exatamente em que ponto da vida eu decidi mas, a partir de um determinado momento, resolvi aplicar os princípios de heroísmo e honra que tanto sonhei. Eu resolvi que seria implacável, bom, doce, galante e educado para os bons, mas que não me abalaria pelos de alma pequena que viessem a me enfrentar. Eu seria Fortaleza para defender em vida os meus amores e a justiça. Eu JAMAIS seria miserável, jamais mendigaria sentimentos.

Com 10 anos, eu me lembro de um rapazinho um pouco mais velho que maltratou a namorada na minha frente durante um jogo de queimada. Enquanto eu tentava consolá-la, ele se irritou e me deu um soco no rosto... Meu rosto virou com a força do soco, e voltei a olhá-lo nos olhos com raiva estampada. Eu vi que ele se abalou, arregalou os olhos e tremeu... Dei o soco de volta e o vi cair no chão chorando. Me senti triunfante, dei as costas pra cena e fui para casa. 

Me lembro das emoções do momento de levar o soco, não de sentir a dor, mas sim uma explosão incontrolável de adrenalina que me subiu como um dever de devolver a afronta, de enfrentá-lo, de fazê-lo sentir a dor do soco e pela ofensa que causou á namorada.

Uns anos depois, fui insultado por um rapaz mais velho durante um jogo de futebol quando me deu um tapa no rosto por não ter conseguido defender o gol. Não tive dúvidas de minha reação, com uma imobilização rápida o rapazinho desmaiou sem ar nos meus braços e, mais uma vez, tive o ar da vitória. Não sei quando escolhi, mas num ponto da minha vida, eu quis ser a justiça em pessoa (talvez não a mais humilde das escolhas é claro) mas me senti várias vezes no dever de devolver as ofensas que as pessoas lançavam ao meu redor e em especial contra as que estavam comigo... Não aceito injustiças, não aguento ofensas calados, principalmente contra as mulheres.

Hoje me vejo no passado como impulsivo e descontrolado, me vejo misturando "Justiça" com vingança, exatamente por ter me envolvido tantas vezes em tantas brigas, ás vezes por motivos imbecis mas que na hora, me pareceram corretas. Honestamente não tenho mais a violência como solução, mas confesso que existem pessoas que a merecem.

Quando decidi que eu seria implacável em vida, pretendi que não me abalaria, que não me deixaria levar por falhas e que jamais desistiria de nada que valesse a pena... Lutaria com honra e afinco por minhas conquistas e desejos. Não senti mais medos, não me assustei, não me deixei abalar pois comecei a acreditar de que TUDO tem solução em determinado tempo ou por meio de uma escolha, de que TUDO é superável e que TUDO se conquista, o que é claro, depende somente da fé que você deposita em si mesmo.

Por anos, nada havia me abalado, nem problemas de familia ou mortes de amigos, acidentes de carro, brigas, assaltos, armas, problemas, cobranças, vestibulares, provas... Absolutamente nada, nem mesmo meus amores, nem mesmo ex-namorados ciumentos e garotos bobos.

Mas a minha fortaleza, não é inabalável, tudo o que parece tão sólido e implacável, pode momentaneamente ruir. Não há solidez ou segurança eterna, e toda a ordem e certeza geram úvidas e desejos. O que sempre me foi certo e claro hoje é um turbilhão de cores em rotação constante que me traz apenas as incertezas do que virá, mas que com elas, vêem a expectativa do que é mais belo e delicioso de ser vivido. 

Vivo sem fixar no passado ou futuro. PRESENTE no sentido literal da palavra deve ser saboreado, aproveitado. Todo novo dia que se faz "presente" é uma nova oportunidade de colher os bons frutos e aplicar o que temos de melhor para todos e para um.

Eu acredito nos valores e virtudes. Acredito no amor, na fé que as pessoas depositam em si mesmas e nas gentilezas com que levam suas vidas. Aqueles que entendem que o ambiente harmônico e pacífico que vivemos, só é realmente "presente" em nosso presente, se trabalharmos por ele.

Eu sou a fortaleza com que me faço, humano, com todas as viciante fraquezas...
Mas que vivo diariamente acreditando que tudo  o que construo, faço em busca do melhor que posso alcançar.

"Gentileza gera Gentileza"

Como um Galaad da era moderna.

Um comentário: