sexta-feira, agosto 28, 2009

"MAR DE ROSAS"



Existe aquela expressão super comum de que "A vida não é um mar de rosas", mas ao prestar atenção, usamos-na pra justificar um problema complicado que nos surge ou para nos desculpar (conosco ou com outros) por algo que de pronto, não tem solução.

Mas será que não é um refúgio?

A vida É SIM um mar de rosas, pelo simples fato de ser vida. Continuamos abençoados por viver, qualquer que seja a situação... Respiramos, comemos (ou não), vivemos... Temos chance, temos a OPORTUNIDADE de que tudo seja um mar de rosas.
Ao invés de continuarmos a pensar em nossos grandes problemas ou o que nos aconteceu (por mais grave que seja), não pensamos que antes e depois deste problema existiu e continuará existindo vida e tempo. Temos tantos problemas de relacionamento, problemas pessoais, doenças, financeiros, no trabalho, em casa, acidentes e catástrofes que nos esquecemos muitas vezes de viver.

Mas como diria o poeta: "C'EST LA VIE" (É A VIDA) meu camarada, você vai ter de lidar com seus problemas.

Mas não se esqueça, além de todos eles, existe um mundo lotado de pessoas e acontecimentos que estão completamente alienados aos seus (muitas destas que estarão de pronto, preparadas para te ajudar se forem requisitadas) e que para cada uma delas (como é para você), a vida é uma mar de rosas sim, mesmo que momentânea (aquém dos problemas de que custamos a esquecer)... É um fato e sempre será. Vivamos pela beleza deste privilégio, pensemos na maior parte do tempo, não no insolucionável ou difícil, mas no que nos dá prazer e vontade de viver.
Viver lembranças ou planos, sonhos e realizações... Mesmo que pequenas, mesmo que bobas. Mudanças mínimas podem nos dar um novo fôlego para os dias e percebê-las é um grande presente.



Estejamos atentos então, pelas intenções, por nós e pelas pessoas.

terça-feira, agosto 25, 2009

"LIBERDADE"


O direito supremo, o princípio da sobrevivência, o impulso para se transpor problemas e desafios, os que nos destaca, o que nos difere uns dos outros. Somos todos singulares, com nossas próprias liberdades de escolhas, liberdade de pensamento, de fazer loucuras e realizar nossos maiores desejos e sonhos... Liberdade de VIVER de ser um só, de ser você.

Sem medos e sem se arrepender, sem cobranças ou hipocrisias impostas por nós e pelos outros.

Não é algo conquistável, é um direito, um princípio de cada um de nós do qual se ameaçado, deixamos de lutar por ele com o tempo.
Há quem diga que possam ser inimigos, mas acredito que tempo e liberdade são parceiros, é claro que, depende de sua luta diária por ela. Com o tempo adquirimos novas experiências e pensamentos, com a liberdade, nos aprofundamos nelas e aprendemos a nos respeitar e nos conhecer.
Sozinho é importante, mas nunca imprescindível... Liberdade compartilhada é suprema.

Não podemos perder a vontade de conquistá-la o direito de vivê-la, acredito que cada um deva buscar sua "liberdade"de alma para estar satisfeito consigo mesmo... Para ser feliz.
Boas vibes me cercam agora, uma nova beleza, uma nova fase uma deliciosa liberdade de alma, mente e coração, vivo novas ligações, vivo pela vontade de se viver... Aproveitar. Posso ficar aqui por um tempo, mas o tempo... Aaa este "parceiro" me limita as conclusões e delongas... Que sejam rápidas, que sejam intensas minhas liberdades, que seja uma vida de ORGULHO e muito bem vivida.



Viver intensamente...Feliz, sempre. Aqueles momentos "espertos", sabem como é?! (rs).
INESQUECÍVEIS, meus amores!

domingo, agosto 23, 2009

"SENTIMENTAL"


Vi algo lindo por esses dias alguns momentos antes de começar uma das aulas da faculdade. Para minha família, que me conhece melhor do que ninguém, sabe que os melhores e mais importantes presentes para mim, são os emocionais.
Eu AMO as emoções... Amo que sejam transmitidas, admitidas, declaradas, faladas e demonstradas, nunca me canso disso.
Por estes dias, foi aniversário da Stê (PARABÉNS BONITA!!) e admito que fiquei surpreso e até me perguntei como não tive esta idéia... A pequena, (Evelyn!!) entregou uma carta de amizade, como presente de aniversário, super espontânea, muito real e bem emocional (vi pela cara da Stê)... Adorei.
Nós nos esquecemos destas coisas, ligamos tanto o aniversário e outras datas comemorativas com a palavra "presente" que nos esquecemos do sentimento aquém do materialismo.
Sinceramente, uma carta, uma declaração, um beijo profundo e um olhar verdadeiro, são estes tipos de presente que eu sempre espero e que sei gostar mais do que qualquer tipo de objeto... É uma coisa tão mais duradoura, poderosa, gostosa de se receber.
Minha família está cansada de saber que sou extremamente nostágico, tenho uma tremenda paixão pelas filmagens da minha infância, os trabalhos de arte da escola da minha mãe e minhas irmãs (gardados em uma grande pasta aqui em casa) que a única coisa que me preocupo em nunca esquecer e da qual eu realmente quero para mim são estes artifícios de lembrança da infância, da minha e dos que eu amo.
Por eles, enxergo um canal que me liga ás pessoas que os fizeram ou transmitiram... Cartas e palavras me conquistam, idéias e presentes de sentimento me emocionam.
Gosto das ligações, das pessoas e sentimentos que representam... Não de presentes, não de materiais descartáveis.


Para que nunca nos esqueçamos dos sentimentos que devem ser transmitidos, admitidos, declarados, falados e demonstrados, o mais que podemos, quantas vezes quisermos, sem medos e sem pudores.

sábado, agosto 22, 2009

"PLUTOCRATAS DA SIMPLICIDADE"



Eu assisti à pouco na TV Cultura, um documentário do cotidiano de famílias Mongóis que criam dromedários no deserto de Gobi. Nesta família, existem oferendas semanais para os espíritos da natureza que os protegem de doenças, em que colocam grandes pratos da pouco comida que tem á apodrecendo no deserto por uma crença, uma esperança de saúde e fartura. Eles são conhecidos por serem um povo minimalista de valores simples e muito pobres, mas são um povo simplório e de muita fé. Seu trabalho é cuidar para que a dromedário da família que teve dois dias de parto, não rejeite o filhote pois este, diferente de todos os outros, é branco. A luta é diária para que o filhote se alimente do leite e que consigam com que a mãe se acostume com ele.
Ao fim da semana, eles fazem um ritual musical de “conciliação” que parece ser bem sucedido, pois todos comemoram dentro da tenda (casa principal) com uma enorme tijela de leite de dromedário (o único alimento á disposição nestes dias). O clímax do documentário é quando um grupo de nômades mercadores chegam perto da tenda da família com alguns poucos objetos para vender: Dois carrinhos de brinquedo, um despertador e 3 latas que parecem ser de cerveja abertas, improvisando um local para armazenar limonada.
Fiquei surpreso... Claro que temos uma vaga noção de que existem culturas e povos que vivem com recursos limitados em comparação para com os nossos. Agora, é incrível, sabemos que estes povos existem, que sofrem de pobreza, mas como não temos sequer noção de tamanha carência que sofrem, nós nos acostumamos com a fartura e um pouco de mesquinharia. Sei que existem povos que sofrem de uma escassez ainda maior do que a deles, mas me espantou a felicidade do menino ao ver um despertador e dois carrinhos de plástico. Tão comum para mim, tão ‘obsoleto”, e ultrapassado para nós. Valores tão simples, ao reunir todos para cantar ao fim do dia na tenda... O sorriso do pequeno garoto que ganhou dois carrinhos...Tímido, raro.
Me sinto privilegiado pelo mundo que me rodeia, pelos recursos que temos e pelas pessoas que me cercam. Eu admiro, de verdade estas pessoas, não porque aos meus olhos elas “sofram”, mas porque elas encontram maneiras de ser feliz ao meio de tantos sofrimentos e carências, encontram a simplicidade em ser feliz e a felicidade em ser simples, verdadeiros Heróis.
Pelas diferenças, pelas singularidades de cada uma das pessoas de cada povo e cultura... Pela Humanidade sem rótulos.

sexta-feira, agosto 21, 2009

"INSENSATEZ"


Escrevo este texto em certo estado de embriaguez... Mas escrevo com pleno discernimento de minhas idéias e com fundamentos certos de cada uma de minhas palavras, pois resolvi neste instante ás 2:28 da manhã com 3 colegas de faculdade ao lado e uma recém acabada reunião de colegas em minha república em Franca - SP, para me aprofundar nas idéias que me passam pela cabeça agora. Nunca em minha vida estive realmente dominado pelas bebidas que consumi em qualquer uma das festas em que passei, nem mesmo hoje, e que em certas situações e lugares em que me sinto confortável e seguro de fazê-lo. Estou sentado no'sofá de nossa repúbilca em um estado de alegria ouvindo e dando rizadas inúteis de gravações de trotes imbecis com vozes de Silvio Santos... Me vejo em um situação até certo ponto privilegiada... Devo admitir que sempre tive uma idéia e uma linha de pensamentos um tanto "velhas " pela minha idade, motivo pelo qual sempre me orgulhei pelas pessoas que atrai... Não gosto de festas... Não gosto de ilícitos ou de pessoas oferecidas ou fáceis... Vivo uma paixão constantante por pessoas interessantes e seguras, decididas e companheiras... Gosto de mulheres que me intrigam, que me interessam. Gosto, mesmo na atual (RIDÍCULA) Situação em que me encontro, do que admiro, gosto do que é diferente, superior, seguro, inteligentes e corajoso. Vi hoje em uma pequena reunião de nossa turma de faculdade (pelo menos o começo de inúmeors encontros), uma nova perspectiva de segurança pessoal e individual em cada uma das pessoas... Escrevo agora na madrugada, em atual fim desta referida reunião, não pela imensidão de idéias e novas visões que me passam pela cabeça, mas por um momento de experimento, acreditar que possa sem limites dos meus dizeres, me abir em uma nova proporção agora. Vejo em certo ponto um delicioso futuro iminente que se aproxima de mim, novos horizontes e descobertas pessoais e interpessoais que me fazer sentir um tremendo orgulho dos que me cercam... Claro que estou até um GRANDE ponto, preso a sonhos e planos de meu futuro que tenho certeza que irão me seguir por toda a vida, estes, que surgiram nestes ultimos meses. Sei de algo que ninguem nunca saberá ou sentirá por mim... é algo supremo e inigualável, um sentimento que pela primeira vez em minha vida, DEVO ADMITIR, é por uma outra pessoa. Sempre acreditei em algo que ouvi muito cedo (e com muita razão de minha irmã e confidente Ana Carolina) "Ninguem nunca viverá ou sofrerá qualquer tipo de situação por vc... Ninguem entrará em uma sala de cirurgia por vc, ninguem morrerá por vc".
Até certo ponto, estamos mesmo sozinho... Podemos escolher alguem para viver conosco, mas nunca por nós.
Tenho particularmente, algo que nunca vou esperar de nenhuma outra pessoa... Uma visão completamente apaixonada e sonhadora da vida. Nunca vou hoje ou jamais irei fugir da realidade, mas sempre, vou seguir meus princípios de gentilezas. quis poupar os que me cerca de tamanha realidade. Eu quero a plena felicidade e conforto dos que optam por viver comigo e por mim, não só por eles, mas porque para mim, isso é satisfação. Vejo aqui meu amigo jogar MARIO WORLD ao meu lado bêbado (Vergonhoso Gu!!), e eu a escrever este texto... Com nenhum pouco de orgulho de minha parte por esta situação, mas porque ao admitir, eu admito um novo momento de experimentação e vivência em minha vida, da qual poderei poupar ou aconselhar meus futuros e esperados filhos das experiências em que vivi. Eu procuro o amor... Procuro o prazer a dois, a satisfação em admitir, falar e demonstrar este amor... Como antes escrevi, procuro SEMPRE o amor acima de qualquer outra conquista, alguem por quem fazer e admitir amor... Alguem por quem eu possa admitir uma doação e amor supremo, sem medos, como eu aprendi vendo e crescendo em companhia dos meus pais. Meus orgulhos, meus heróis. Sou o que sou por eles, pelos que me dizem e ensinam... Pelo que me demostram. Eu quero, em estado pleno de sanidade, o romance e doaçã0, o amor, prazer e satisfação. Eu quero, aquém das minhas idéias e lemas, encontrar alguém por quem em determinado ponto de minha vida, eu possa admitir que a vivi com ela, com orgulho. Bobo ou imaturo? dependente ou apaixonado?! Sim... Devo admitir que sou, até certo ponto. Apaixonado, mas nunca bobo ou ingênuo... Apaixonado pela vida única que estou vivendo... e que espero de corpo, alma e coração, que seja MEMORÁVEL, que seja por mim e por alguém, algo inigualável, incomparável e motivos de futuras histórias e orgulhos, sem pudore ou medos em minha futura família... Meu maior sonho... Minha maior meta.
Por hoje, por agora... Estou sozinho e planejando... Esperando e sonhando, com um novo e deliciosos amanhã de se viver. :) Otimista, como sempre espero ser, para transpor a nova perspectiva "anuviada" da qual estou transpondo... Uma nova, futura e brilhante conquista!
Aos meus amores, famílias e irmão de consideração, escrevo este texto sem reedições ou revisões... Sou Humano, faltoso e apto a falhas e erros... Escrevo, por mim e por vocês, Meus AMORES.
Pelos que jamais irei me esquecer ou me afungentar.

Minha real FAMÍLIA.

terça-feira, agosto 18, 2009

"AO AVESSO"


Estive pensando hoje a noite que a vida seria mais justa se nós pudéssemos vivê-la de trás para frente, se não estivéssemos fadados á factual certeza de que no fim nós vamos deixar de existir com as limitações físicas que a idade traz.
Seria bom adquirir tudo o que o tempo nos traz em ordem inversa, que pudéssemos rejuvenecer ao invés de envelhecer.
Que as experiências e sabedoria que adquirimos durante todo esse tempo não se acabassem em um fim ás vezes triste (imprevisível saber como morreremos), e não em um incontrolável e delicioso orgasmo.

Meus cumprimentos para o texto que encontrei de autoria de Charles Chaplin que resume exatamente o que quero dizer:


"A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina.
Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente.
Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.
Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar.
Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria.
Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara pra faculdade.
Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe,
passa seus últimos nove meses de vida flutuando....
E termina tudo com um ótimo orgasmo!

Não seria perfeito?"
.

Para os olhos, o filme - "O Curioso Caso de Benjamin Button".

sábado, agosto 15, 2009

"ESTRELA CADENTE"


Ontem a noite, pela primeira vez na vida eu vi uma estrela cadente.

Eu nunca na vida me dei tempo suficiente para olhar para o céu e esperar ver uma estrela cadente. Tudo acontece no mundo tão rápido, a todo tempo, o tempo todo, que não queria desviar meu olhar para não perder nada.
Mas ontem, tinha um certo sentido só olhar para o céu, em silêncio.
É uma nova fase em que entrei da minha vida, uma nova rotina que se inicia, uma nova readaptação de vida... Não vou mentir que me pergunto se a nova escolha foi a mais correta, se não errei, ou erramos.
Pela primeira vez em alguns meses voltei a fazer algo que não fazia... Existe aqui em Porto Ferreira um local á beira da estrada que chamamos de "areião". Fui até lá pela tranquilidade, pelo escuro e silêncio... Que paz.
Me emocionei com minha primeira estrela cadente... Tão rápido, tão pequena... Tão linda.

Eu tenho uma forte visão apaixonada pela vida, pelos detalhes.
Gosto de guardar e relembrar tudo, não pela nostalgia de fazê-lo, mas pelo hedonismo de sentir estas lembranças... Coisas que me dão prazer, coisas que me fazem feliz.
Ontem olhei para o céu com uma nova visão, acho que com um desejo além, mais forte e poderoso do que eu mesmo o conheça hoje, mas sei que prevalecerá por muito tempo.
As chances e oportunidades deste tempo, é a minha vida que irá determinar, são minhas escolhas e atos... Mas que aquém deste tempo, sempre existirá este desejo, esta esperança.


Vivo este novo dia com esperença, não de retomar um tempo que não voltará, mas de continuar do ponto em que parou, se os nossos destinos permitirem.
Só o que posso fazer daqui pra frente, é sorrir, porque aconteceu.

:)


Escrevo este texto por aquela que sempre terá as fotos em meu mural e as lembranças de amor no meu corpo, mente e coração.

sábado, agosto 08, 2009

"THANK YOU" - DIDO











Para os nostálgicos, está aqui a tradução de um super sucesso dos anos 90...
Quem não conhece essa música da DIDO?!

Letra bem legal, um contraposto da realidade dela quando se vê confortável com o amor.
O som é agradável, vale ouvir!




video

sexta-feira, agosto 07, 2009

"PANELA DE PRESSÃO"


A teoria da panela de pressão, como disse minha irmã por esses dias, é algo bem usado entre as famílias e rodas de amigos em Londres (Santo Stuart!).
É quando criamos um atrito tão grande por coisas feitas e faladas entre duas pessoas, que criamos uma "pressão" que só tende a aumentar com o tempo, se não resolvermos falar logo o que nos chateou. O problema é chegar ao ponto de resolvermos não falar mais, simplesmente aceitar o problema, ou pior, fazer de conta que nunca existiu.
As coisas que não são faladas, podem não vir á tona, mas sempre vão estar aumentando nos nossos subconscientes a pressão dessa panela de amigos ou família.
É bom evitá-la, antes que exploda!

Essa é pro pessoal da faculdade que me pergunta: "E agora, o que fazer?"

segunda-feira, agosto 03, 2009

"O VENTO DOS TEMPOS"


O tempo... Herói ou vilão?

Em meio ás minhas idéias, resolvi comparar a perfeição da natureza á existência humana.

Não existe nada que seja imperfeito nesse mundo, tudo segue seu propósito e o seu tempo.

Tudo o que existe, se transforma... Tudo é levado pelo vento dos tempos.

Posso pensar em uma montanha que demorou milênios para ser formada, que foi desenhada por ações belíssimas do vento e água e que está sendo destruída aos poucos, sendo transformada em pequenos grãos de areia, para servir á um novo propósito.

Posso comparar uma pessoa, claro na grandeza de suas diferenças, á esta montanha.

Nós nascemos como ela se forma... Crescemos, amadurecemos e aprendemos como ela se desenha, é claro, depende de qual "vento e água" tomamos para nos formar, qual os valores que devamos escolher para nos ensinar.

E como ela, nos destruímos aos poucos pela ação do vento dos tempos.

O que pensamos, o que falamos, o que plantamos e como, de qual maneira nós vamos nos eternizar ao encontrar novos propósitos.

Acredito que nossa existência é superior apenas á esta vida terrena, mas é aqui que tomamos base para o além superior.

Como as montanhas, podemos ser grandes, fortes e íntegros, como as montanhas, podemos mudar cursos do que acontece ao nosso redor, desviar os rios, limitar os que nos habitam, impedir ou dar recursos á renovação.

Nós temos a fortaleza das rochas de uma montanha, a sabedoria da natureza e a imensidão dos ventos...

Nós somos humanos e aquém das comparações metafóricas, devemos saber que temos o privilégio da escolha, a sabedoria do perdão e a força da palavra.

Uma vez vi uma frase fortíssima em uma propaganda banal de televisão... Era um robô que dizia "Eu posso alcançar a imortalidade, basta não me desgastar, você também pode alcançar a imortalidade, basta fazer apenas uma coisa notável".

Mas quer saber?

Nós fazemos coisas notáveis, pelo simples fato de existir... Não precisamos fazer nada para ter a imortalidade do tempo, pois pelo simples fato de vivermos, temos a imortalidade dos que nos cercam, no meio em que vivemos, mesmo daqueles que apenas passam em nossas vidas para deixar lições... Todos deixamos marcas, LEMBRANÇAS uns nos outros.


Pensem grande, QUEIRAM SER LEMBRADOS mas só pelo que fizeram de bom.


É aí que (pelomenos em minha mente) alcançaremos a imortalidade, até aonde ela deva durar, respeitando os "ventos do tempo", que trazem a renovação da existência terrena para um novo recomeço, uma NOVA HISTÓRIA.