quinta-feira, agosto 05, 2010

"ESTRATEGISTAS?"



Onde estão os estrategistas?


Agora chegamos na iminência das novas eleições no Brasil. Engraçado que, na primeira em que de fato vou votar com um pouco mais de conhecimento de causa e com vontade de exercer este meu direito cívico, percebo que diferente de qualquer uma das eleições anteriores, pouco se falou. Não tenho visto quase nada sobre eleições, nem os candidatos, nem nada que aponte "política" em outros meios que não sejam os jornais impressos... Pouco se fala inclusive no nosso meio jurídico, no trabalho, na faculdade... Está apenas começando onde normalmente já teria acabado.
O pouco que tenho ouvido são discursos toscos e burros de um presidente absolutamente abobalhado e que, mesmo proibido, tenta desesperadamente encaixar sua candidata "beata" entre suas palavras (o pior é que consegue)...  (Carimbo ANTI-LULA).

COMO PODE TER GENTE QUE VOTA NAQUILO?! 

Não vou mentir não, fui apartidário até agora, mas bato firme na propaganda anti-Dilma! Não gosto dela, não me cativa, não me convence tanto quanto o atual babão.
Hoje a noite deitei na sala de casa depois das aulas e tive uma conversa com o Mestre Zabin sobre política, direito, patriotismo, enfim, sobre todo o curso do que acreditamos ser hoje o Brasil e a imagem que temos de algumas outras nações e suas organizações jurídico-políticas internas.

Falamos da dificuldade que tem o curso de nossas eleições, nas probabilidades que temos de indiretamente votar na "Bandilma", se votarmos em branco, nulo ou em candidatos alternativos (que tem poucas chances de chegarem ao segundo turno - e lamentamos saber que muito provavelmente ela realmente chegará ao segundo)... Falamos dos frutos que o governo Lula colheu (costruídos por FHC - Vou negar que o Sarney também tem sua cota de participação positiva) e que nada do que ele fez foi diferente dos governos anteriores, ele simplesmente continuou com algo que já estava pronto e se encaminhando (em grande parte de seus aspectos - Concordo que tivemos bons progressos nos últimos 8 anos, mas não me sai da cabeça que não é um cara muito coerente com o título que ocupa, foi um grande parasita). É interessante como o apelo de campanha que ele tem é tão forte, diferente do que o PSDB tem usado de enaltecer obras de governadores, os PTistas tem apontado as falhas dos antecessores (como sempre o fizeram) mas com palavras mais populares, com um apelo muito mais "povo" do que intelectual (óbvio que funciona!). Não parecem existir grandes estrategistas no PSDB, o que me anima em certo ponto porque não são muito capazes de serem verdadeiros "atores", são limitados pelo seu grande conhecimento e se esquecem de usar da humildade ao invés de apenas se apoiarem na ambição que tem.
  
Humildade... É o que falta para os nossos legisladores e juristas (pena não conseguir expressar tão bem tudo o que foi comentado na conversa, seria importante enaltecer muitos pontos que me passarão desapercebidos aqui) no momento de formular e aplicar a lei. Digo isto pela falta de uma visão mais ampla do que a generalizada que se tem utilizado para a formulação de muitas leis (Ex. da porcaria do Projeto de Lei 2.654/03 a polêmica "Lei contra palmada", aonde existe o Direito de um governo se enfiar na estrutura familiar e dizer agora o que um pai não pode mais fazer? - VAI FAZER UMA LEI PARA O MARIDO QUE ESPANCA NA MULHER ENTÃO AO INVÉS DE SÓ ESPERAR ELA TER CORAGEM DE DENUNCIAR! ; FAZ UMA LEI PRA PUNIR QUEM ESPANCA IDOSOS E ANIMAIS TAMBÉM ENTÃO! - Estão fundamentando em dizer que a Lei está aí para proteger filhos de pais que batam quase que diariamente, contra estabelecimentos de ensino ou profissionais de acompanhamento que venham a espancar crianças sem que sejam seus filhos..."Caso seja aprovado, os pais ficarão proibidos de dar uma simples palmada nos filhos, porque o projeto proíbe qualquer tipo de castigo, inclusive castigos moderados". 
Particularmente eu apanhei algumas vezes durante a infância e hoje olhando para trás, dou razão para cada pequeno tapa que tenha levado quando a conversa não teria resolvido... Nunca apanhei para que ficasse marcado ou sentisse dor, levei "psico-tapas" que me davam um susto para que quando eu tivesse conhecimento para entender o porque, viesse a compreender que tinha sido necessário. Honestamente, hoje dou razão mesmo para cada um deles e não mudaria nada da maneira com que fui criado... Não acredito mesmo que seja bom educar os filhos com violência (óbvio!) mas acho que em determinadas situações a "psico-palmada" é necessária. 
Para quem ainda não viu, a tirada do Lula sobre o Projeto de Lei 2.654/03 é: "Se punição e chicotada resolvessem, não tinha tanto corrupto neste país" - Tenho certeza que ele apanhou quando era criança (foi nada menos do que uma CONFISSÃO por parte dele)... Mas me pergunto se os grandes "coronéis" que ocupam e ocuparam as cadeiras do Senado e da Câmara dos Deputados (independente do Estado que representem, mas aí eu dou mais ênfase ao Norte e Nordeste) realmente apanharam tanto assim e se algum dia bateram nos seus tão preciosos e ricos porquinhos filhinhos. 
Alguém acha que o "Lulinha" (não estou sendo sarcástico, estou falando do filho mesmo) apanhou? Um grande "EMPRESÁRIO" como ele, um exemplo de humildade e probidade!! 
Não dá pra ficar enrolando, quem vai ler isto é porque tem um mínimo de conhecimento e interesse pelo país e que espero fazer seu dever cívico individual aquém de apenas criticar o governo... É ABSURDO! O sistema que envolve o legislador, a falta de humildade do judiciário que joga a culpa no legislativo podre que faz leis onde a responsabilidade cabe á um executivo saturado e sistematizado num esquema tão afundado em um estado avançado de putrefação que é mais fácil fechar os olhos e jogar a responsabilidade pro judiciário em um constante ciclo vicioso e "viciado".
Ninguém tem culpa ao mesmo tempo em que todos a tem ... Agora convenhamos (voltando ao ponto de falta de humildade) o legislador que está lá em cima formulando as leis de uma maneira tão generalizada (Ex. a ponto de restringir o direito do pai - se for necessário - de educar seu filho porque agora todas as crianças são "espancadas") se esquece que um dia não foi detentor de um conhecimento tão amplo (se realmente o tem), que um dia foi criança, adolescente, estudante... Como foi a realidade deles todos? 
Eles observaram o meio onde viveram para entender os dilemas do seu tempo?
Se lembram deles?
Algum deles se aplica aos dias de hoje? 
Quais eram os ideais que almejavam em prol social? 
Os atingiram até onde chegaram ou simplesmente foram tomados de uma ambição tão grande que o prol personalíssimo já foi mais que suficiente?

Fico indignado, decepcionado com a falta de bom senso que temos em nossa política.
Neste ponto começamos a falar sobre o patriotismo do brasileiro e o comparamos com o dos norte americanos onde existe uma isenção de taxas para quem tem em suas casas pendurada a bandeira dos EUA ou nos filmes que façam menção á imagem "gloriosa" da bandeira, mas concordamos que isso não veio como uma idéia de "promover o patriotismo", ela só veio fortalecer um patriotismo que antecede a isenção de taxas apenas... É uma questão histórica e cultural. 
O Brasil desde sempre tem um "jeitinho", um sistema até (pessoalmente acho) falho pelo pluripartidarismo onde existem muitas oportunidades para qualquer genótipo ingressar no mundo político sem grandes restrições, é tão fácil e nada se exige - Atenção para os candidatos á vereadores de sua cidade (cada absurdo!) - Tá legal, confesso que quase nenhum deles vai chegar á algum outro cargo ou conseguir uma nova candidatura, mas estão lá e até se elegem! - o populismo que existe e a idéia avacalhada de que "- Aaa... O cara é engraçado" (Enéas; Dedé); "- Ele canta bem!" (Frank Aguiar); "- Já que é pra votar em qualquer um mesmo" (Clodovil - que Deus o tenha) dá a oportunidade do "engraçadinho" ser eleito...SÃO E FORAM DEPUTADOS GENTE, TENHA DÓ! 
E AINDA CARREGA UM PROLE DE BABACAS QUE A GENTE NEM SABE O NOME E NÃO SABE SE TRABALHA... ALGUÉM SABE? ALGUÉM VAI ATRÁS??
Confesso que realmente nunca antes procurei saber, mas se a minha unica eleição desde que tardiamente tirei meu título de eleitor foi a de Prefeito e Vereadores do município de Porto Ferreira em que até onde sei estão fazendo um trabalho legal de renovação na área de Saúde de pequenos bairros e (claro que agora quase no fim do mandato) de renovação visual nas áreas públicas da cidade. 
Mas agora não mais, eu quero saber, eu quero acertar, fazer exatamente o que as novas propagandas Federais cheias de "ideais" estão pedindo, que cobremos realmente mais de nossos governantes individualmente e claro, consequentemente atingir mudanças em âmbito Federal á longo prazo.

Se ninguém pode valer-se da própria torpeza  (nemo auditur propriam turpitudinem allegans), seria de se esperar que ao menos as pessoas fossem instruídas sobre as Leis que as regem (e que lhes são cobrado o conhecimento) desde cedo na escola. Sempre ouvi do meu avô que todas as casas deste país devem ter ao menos um cópia da Constituição Federal e do Código Civil para que saibamos o que acontece e como acontece no nosso meio social.
Durante nossa conversa, falamos do código de trânsito... É "lindo" (traço de sarcasmo) e fala inclusive sobre bicicletas, mas não me lembro desde que comecei a andar com uma de ter sido instruído sobre regras de trânsito, onde eu deveria andar, como funcionam as vias, as placas, os sinais do carro... Mas durante nossas conversas falamos da atenção que é dada ás bicicletas na redação em geral e que em um artigo um tanto contraditório restringe-se o espaço de circulação ás ciclovias apenas... Mas espere aí! 
Ao invés de estimular o uso de bicicleta, transporte barato e não poluente, pensando agora em toda a questão ambiental e na comodidade do cidadão, pensou-se apenas na segurança sem grande planejamento á começar com a responsabilidade do município em construir uma ciclovia (que deveria então acompanhar todas as ruas da cidade para que fosse trafegável), encarecendo (pelo valor da obra e da infinidade de apetrechos que cada ciclista deve estar trajando e equipando sua bicicleta para dentro da lei trafegar) e impossibilitando o uso do meio de transporte, configurando-o como um "pequeno delito" praticado diariamente por um ciclista em cidade que não há ciclovia. 
Um exemplo banal, mas tem muitas leis e artigos que são assim, mal planejados, desatualizados e absolutamente esquecido por legisladores que não precisam usar bicicletas, que não tem mais de educar filhos já que estão crescidos e são grandes "empresários & fazendeiros".
Nos parece até que a lei era, é e está sendo formulada por e para legisladores apenas.
Posso até ter radicalizado, mas em parte temos razão de pensar assim, desacreditados, fatigados com uma política que pouco nos agrada, estagnada em pequenas cabeças detentoras de grandes conhecimentos mas com pouco planejamento.


MUITO DEMOCRÁTICO.

Um comentário:

  1. Bruno,o neto,futuro escritor!
    Li e achei bastante proveitoso.
    Avó Layr.

    ResponderExcluir